Brasil passa a integrar ITF junto a países de primeiro mundo

Compartilhe essa matéria

O Brasil vinha atuando, desde de 2020, com o status de observador, agora em maio, passou a integrar o Fórum Internacional de Transportes na condição de membro pleno, junto ao bloco europeu e americano. Apenas a Argentina, o Chile, a Colômbia e o México eram integrantes do fórum na América Latina.
Brasil passa a integrar ITF junto a países de primeiro mundo

O Brasil recebeu aprovação unânime dos mais de 60 países membros do Fórum Internacional de Transportes (ITF) para se tornar um novo país membro. O ITF, fórum onde ministros de transporte se reúnem para discutir políticas de mobilidade destinadas a melhorar a qualidade de vida das pessoas, ocorreu na Alemanha e contou com a presença de Renan Filho, ministro dos transportes do atual governo. 

Com a admissão, o Brasil se torna o 65º membro do ITF, e o sexto país latino-americano a integrar o órgão, ao lado de Argentina, Chile, Colômbia, México e Costa Rica 

A missão da ITF é promover uma compreensão mais profunda do papel dos transportes no crescimento econômico, na sustentabilidade ambiental e na inclusão social, além de elevar o perfil público das políticas de transporte. Ela desempenha o papel de um “think tank“, servindo como uma plataforma para a discussão e pré-negociação de questões políticas relacionadas a todos os modos de transporte. A Cúpula Anual da ITF representa a maior reunião global de ministros de transporte e é o principal local para o diálogo sobre políticas de mobilidade em nível internacional.

O Secretário-Geral da ITF, Young Tae Kim, enfatizou o compromisso dos países participantes em compartilhar as melhores práticas no setor de transportes, dizendo: “Os países membros estão dispostos a compartilhar suas próprias experiências com o Brasil, auxiliando-o na superação dos desafios enfrentados no setor de transporte. Tenho plena confiança de que essa colaboração será mutuamente benéfica e estou ansioso para ver o Brasil se tornar um membro de pleno direito da ITF.”

Ainda segundo Young Tae Kim, secretário-geral do ITF, disse que o órgão recebe o Brasil de braços abertos, acrescentando que o País traz uma riqueza de conhecimento que beneficiará todos os membros.

“O Brasil deu ao mundo o BRT; tem o segundo maior número de aeroportos do mundo, o segundo porto mais movimentado da América Latina [Santos] e abriga a terceira maior fabricante de aeronaves do mundo [Embraer]”, elencou. 

Para o especialista do mercado internacional, Luis Campos, a inclusão do Brasil no ITF acontece em um momento de grande relevância, à medida que o país recupera sua posição de liderança regional e volta a desempenhar um papel central na reestruturação da economia e no enfrentamento das questões relacionadas às mudanças climáticas”. Além disso, para ele estar ao lado de grandes potências como os países europeus são oportunidades para negócios prósperos no setor logístico e ferroviário para o Brasil.